Sustentabilidade

16/02/2017

 

“ Aprendemos a respeitar as matérias primas e as mãos que as trabalham. Crescemos dentro deste conceito de que o que tirávamos precisava ocorrer em um ritmo que possibilitasse ser reposto. Luiz costumava falar dessas questões de um modo natural e suave. Soube que, por ocasião da expedição Roncador-Xingu, semeou plantas e arbustos no cerrado, no percurso rumo à Amazônia. Foi amigo e falava muito bem do sanitarista Noel Nutels. Chegou a fazer para a Fundação Brasil Central um estudo das condições ambientais para construir uma ponte em Aragarças. Guardo comigo uma joia de dois tomos de engenharia que usou para construir a ponte. Hoje em dia, iniciando novamente o Atelier, vemos que os pensamentos de Luiz se fazem presentes, nos inspiram. E para trabalhar de uma forma que integra, ao invés de subtrair, envolvemos donas de casa que nos procuram para ajudar na produção.... Estamos criando uma comunidade ao nosso redor. ”

(Paula Watson)

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Please reload